Diocese de São Miguel Paulista

História da Comunidade São José Operário.

 


Ahhh... os momentos importantes, nós temos certeza que este não foi o único momento especial na vida de quem frequenta esta comunidade e fez parte desta linda história até aqui, mas acreditamos que foi este ocorrido que deixou as pessoas com o coração quentinho e claro muito mais felizes. 

Vamos entender um pouco sobre esta comunidade através das palavras de sua ex-coordenadora.


“Eu passei 6 anos na comunidade e eu acho que que o que mais marcou foi a construção da comunidade. Quando o padre o Manoel estava na conosco o Senhor que era dono do espaço que ocupávamos pediu o espaço, e isso deixa a gente muito preocupado, pois sabíamos que não tinha dinheiro para comprar um terreno, nem comprar pelo preço que o Senhor estava pedindo. Conversamos com o padre Manoel e ele chegou a falar que a gente ia fechar a comunidade porque não tinha para onde ir.

 Então o Padre Chagas chegou!

    Na primeira reunião do Padre com as comunidades ele quis saber a história de cada comunidade e por incrível que pareça a primeira pessoa que ele perguntou foi para nós da São José; “o que precisa na Comunidade São José?” e foi aonde eu respondi que nós estávamos sem teto, o dia de deixar o local que ocupávamos estava próximo e não tínhamos para onde ir, apenas precisávamos de um teto!

    E em seguida a primeira coisa que ele fez foi comprar um terreno, não demorou 3 meses, acho que 2 meses a gente estava com o terreno comprado e depois disso já começou a construir a comunidade muito rápido e logo em seguida, mesmo sem reboco, sem nada a gente teve entrar muito rápido.

    O padre Chagas chegou em julho, a é a missa dele de boas-vindas foi no dia 5 de agosto e quando foi em fevereiro a gente já entrou para a comunidade, em menos de 1 ano a gente entrou para a comunidade

    E foi aquela emoção alegria muito grande não só para mim como coordenadora, mas como para todos os que participavam da nossa comunidade para todos trabalhavam ali junto, foi a maior alegria, melhor a melhor emoção que já pode ter, então isso marcou muito foi a São José ter seu cantinho!

    E onde que a gente começou a trabalhar bastante para a gente conseguir terminar a comunidade, tirar vazamentos que começou, quando chovia vazava bastante, então a gente montou a cantina na paróquia onde nós trabalhávamos em grupo e trabalhamos bastante.

     Eu trabalhei bastante na comunidade, trabalhei bastante na paróquia eu pedia muito as pessoas para ajudar a gente com sacos de cimento, eu saía pedindo mesmo, eu tinha aqui no meu WhatsApp nos números das pessoas eu mandava mensagem eu ligava para pessoa mesmo, não tinha esse medo de pedir sabe, precisávamos muito de cimento e areia.

    Na comunidade vendíamos várias coisas, eu saía para vender coxinha na rua, Quando estava muito calor vendia picolé, e saía vendendo porque a gente precisava comprar cimento e não tinha o dinheiro. Conforme eu ia pedindo eu comprava cimento e levava no meu carro para sair mais em conta para a comunidade até por que 2 reais fazia muita diferença para nós.

     Eu queria deixar a comunidade bonitinha e então foi isso é o mais emocionante é que a comunidade só precisava mesmo era um teto e conseguiu graças a Deus, hoje a São José o seu lugar, hoje está bonitinho, já tem piso que o outro coordenador colocou, está bonitinha nossa Comunidade.

    Espero que todas as comunidades tenham essa mesma alegria que a gente teve, de conseguir um teto cada um tem o seu lugarzinho, não precisar viver cobrança de ninguém.

    Eu pretendia trabalhar mais na comunidade, eu não queria entregar o cargo da coordenação porque eu gostava de fazer aquilo, eu gostava de trabalhar na igreja, eu gostava de estar envolvida, tudo que eu fazia eu tinha muito prazer de fazer, chega uma hora  que a gente tem tanta coisa que infelizmente eu tive que entregar o cargo, mas juro que eu queria ficar mais tempo, queria trabalhar mais não só pela nossa comunidade São José mas eu queria trabalhar mais para me ajudar as outras igrejas, quando fosse necessário também, não que eu não vou poder ajudar, vou sim se Deus quiser eu vou poder ajudar muito as outras comunidades, porque quando a gente precisou para  nossa comunidade eu pedia ajuda para as outras comunidades, eu pegava colocava rifa pedi para as comunidades para assinar eu pedia cimento e eu falei né quando chegar a vez de vocês de construir a comunidade de vocês, pode ter certeza que eu vou ajudar também eu e eu não esqueci, vou ajudar assim que tiver construindo as comunidades, a Nossa Senhora Aparecida, a Auxiliadora assim que estiver fazendo as comunidades delas, se Deus quiser que isso não demore muito, eu vou estar lá  ajudando, porque eu nunca vou esquecer do que as outras comunidades nos ajudou, e todos da  comunidade São José também ajudaram foi um movimento grande de gente, conseguíamos fazer mutirão quando precisava  carregar areia e todos ajudavam, todos entendiam o motivo daquilo, se Deus quiser futuramente vamos estar erguendo as outras comunidades. “

- Joelma, ex-coordenadora da Comunidade São José.


Abaixo podemos ver algumas imagens do local atual da Comunidade São José Operário:



















Nós da Pascom da Paróquia Nossa Senhora da Glória gostaríamos de agradecer a Joelma por nos ajudar contando um pouco do momento mais marcante na história da Comunidade São José Operário, deixamos aqui o nosso muito obrigado em nome da Pastoral da Comunicação.


Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

Popular Posts

Pages